fala

É fundamental: boa postura. O corpo deve estar bem posicionado e relaxado, com o peso deste, distribuído igualmente sobre os pés.

As vias respiratórias desobstruídas e o queixo paralelo ao solo.

Para uma adequada emissão da mensagem é importante a expressão corporal.

O desempenho vocal sofre interferência da roupa. Um mau aproveitamento da voz, pode estar ligado ao salto alto desconfortável que vem a prejudicar também, a respiração e a postura.

Fique de frente para o ouvinte. Facilite a projeção de sua voz, de forma mais clara.

Se permita um teste:

  • Grave uma conversa sua ou uma aula (se for professor). Observe se está falando muito rápido, com voz pouco audível, se “omite” letras/sílabas, fala alto demais, etc.

Respiração tem grande influência sobre a Voz.

A Respiração Bucal acaba por captar maior quantidade de ar, mas não é a mais saudável e indicada.

Respiração Nasal é mais adequada.

Nota-se nas mulheres, uma prevalência pela respiração costo-abdominal, ou seja, com leve elevação do busto, o que as torna mais suscetíveis a disfonias e alteração respiratória.

Quanto mais usamos a voz, MAIOR deve ser a HIDRATAÇÃO, para reposição de saliva.

O positivo é ingerir líquidos, devagar, em pequenos goles, os mantendo um pouco na boca, para “estabilizar” a temperatura, antes de engolir. Evite bebidas “fervendo” ou muito geladas.

Respiração Nasal também contribui para a hidratação das PPVVs.

É necessário cuidado, para que a fala, não seja produzida a partir de um esforço vocal, que “pode”, desencadear o abuso.

Mudanças vocais devem ser supervisionadas.

Não é produtivo forçar demais as PPVVs e nem fazer isso por períodos muito extensos.

Busque um Fonoaudiólogo.

Compartilhe:

Deixe uma resposta